Política e Sociedade

Política Externa Portuguesa

Nº 56 | agosto 2015

Tiago Moreira de Sá

* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

Desde o início do período democrático tem existido um consenso em torno do essencial da política externa portuguesa. Porém, esse consenso foi construído em torno de uma realidade de distribuição de poder na Europa que foi profundamente alterada em 1989/1990 com a queda do muro de Berlim e a reunificação alemã e, posteriormente, com uma tentativa de hegemonia da Alemanha, assumida com a crise do Euro de 2010/2011. Este ensaio tem como principal objectivo suscitar o debate acerca da política externa portuguesa e pensar qual é a melhor estratégia de inserção internacional do país nos dias de hoje. A proposta aqui defendida é a de um regresso à fórmula clássica da dupla aliança: com a maior potência europeia, a Alemanha, e com a maior potência marítima e atlântica, os Estados Unidos. Esta dupla aliança deve ter como mecanismo de compensação a Lusofonia, sobretudo se entendida numa nova concepção de um Atlântico unido, agregando duas potências ascendentes de língua portuguesa: Angola e o Brasil.

Autoria

Coordenação e autoria

  • Tiago Moreira de Sá
    Professor Universitário
    Tiago Moreira de Sá, 44 anos, é professor auxiliar do Departamento de Estudos Políticos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e investigador do Instituto Português de Relações Internacionais. Doutorou-se em 2008 no ISCTE. Publicou vários artigos e livros sobre as relações internacionais portuguesas. Comenta regularmente assuntos de política internacional em vários meios de comunicação social.

Partilhar