A
A

Hoje produz-se mais investigação científica do que há 30 anos, revela um estudo inédito divulgado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos. Contudo, apesar de o número de doutorandos ter aumentado substancialmente, as nossas publicações continuam a ter pouco impacto. Os autores concluem que é necessário mais investimento na ciência, sobretudo do setor empresarial português.

Este ano o país entrou na corrida cósmica. Pela primeira vez, Portugal tem uma agência espacial e é na ilha de Santa Maria, nos Açores, que será construída uma estação. Para já, sabe-se que será explorada por um consórcio (indefinido ainda) que a deverá usar como plataforma de lançamento de satélites para a órbita terrestre.

Este é, aliás, o mercado da indústria espacial que tem tido maior crescimento no mundo. E a estimativa da nova agência portuguesa é que nos próximos dez anos a investigação e desenvolvimento venham a gerar mil novos empregos qualificados e multipliquem por dez a faturação do setor do espaço nacional.

Mas o interesse no arquipélago açoriano não se fica pela ilha de Santa Maria. Cientistas da NASA querem preparar uma primeira viagem a Marte no vulcão dos Capelinhos, no Faial. E outros investigadores procuram microrganismos semelhantes aos que poderão ter habitado o planeta vermelho há milhares de milhões de anos nos vulcões submarinos dos Açores.

A investigação científica e o desenvolvimento tecnológico decorrentes da exploração espacial irão ter um impacto profundo na Terra e no ser humano. Se até ao virar do século XXI a corrida ao espaço foi impulsionada por interesses militares de alguns Estados, agora está a transformar-se também numa oportunidade de negócio para empresários bilionários como Elon Musk e Jeff Bezos.

A industrialização do espaço deixou de ser uma ideia de ficção-científica. Nas próximas décadas, assistiremos ao aproveitamento de recursos como água e metais preciosos encontrados em asteróides, luas e planetas.

Neste episódio de Fronteiras XXI, debatemos o que podem trazer para o mundo e para Portugal estas novas fronteiras que a ciência ainda está a descobrir. Do fundo dos oceanos ao espaço. 

Como avalia este conteúdo?
A sua opinião é importante.
0
No votes yet
Episódios
1
set do estúdio do Fronteiras XXI
O populismo tem ideologia? - Parte 1

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

90 min
Saber mais

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

90 min
Saber mais
2
set do estúdio do Fronteiras XXI
O populismo tem ideologia? - Parte 2

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

54 min
Saber mais

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

54 min
Saber mais
3
T1E2
Como será o trabalho do futuro?

Como será o emprego no futuro? Que profissões vão desaparecer e que novas áreas de trabalho serão necessárias? O Fórum Económico Mundial calcula que, até 2020, as novas tecnologias...

89 min
Saber mais

Como será o emprego no futuro? Que profissões vão desaparecer e que novas áreas de trabalho serão necessárias? O Fórum Económico Mundial calcula que, até 2020, as novas tecnologias...

89 min
Saber mais
4
set do estúdio do Fronteiras XXI
Afinal o que é a dívida?

Portugal é um país altamente endividado e que não cresce. A dívida, sobretudo a do Estado que atingiu 241,1 mil milhões de euros em dezembro passado, tem-se acumulado, ano após ano...

93 min
Saber mais

Portugal é um país altamente endividado e que não cresce. A dívida, sobretudo a do Estado que atingiu 241,1 mil milhões de euros em dezembro passado, tem-se acumulado, ano após ano...

93 min
Saber mais
Fronteiras XXI, um programa de debate semanal da Fundação Francisco Manuel dos Santos, emitido na RTP
Série
Debate
Fronteiras XXI
59EPISÓDIOS
2017

Debater os grandes temas que desafiam Portugal e o mundo, colocando frente a frente conceituados especialistas nacionais e/ou internacionais e uma plateia selecionada. É este o desafio do Fronteiras XXI, o programa mensal da RTP3 que resulta de uma parceria entre a Fundação Francisco Manuel dos Santos e a RTP.

O Fronteiras XXI pretende alargar o debate às plataformas digitais, desafiando o público a participar no programa antes, durante e após o debate. Pode fazê-lo enviando as suas questões aos oradores através do e-mail fronteirasxxi@ffms.pt. As melhores perguntas serão selecionadas para o debate.

Ao longo de 90 minutos, discutem-se temas que marcam a atualidade, mas também outros, menos mediáticos, que afetam o dia a dia dos portugueses para falar do presente a pensar no futuro.
 

Ler menos