A
A
Um estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos sobre os benefícios económicos e não económicos de possuir formação académica ao nível do ensino superior.

Benefícios do Ensino Superior

Vale a pena investir num curso superior? Será que continua a garantir melhores salários e empregos? Que outros benefícios resultam do ensino superior? Tem efeitos positivos na saúde e no bem-estar individual? Conheça a resposta a estas e outras questões neste estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos.
2 min
Documentos
Estudo Benefícios do ensino superior, da Fundação Francisco Manuel dos Santos
Ensino Superior: benefícios económicos e não económicos

Quando nos matriculamos no ensino superior, acedemos a muito mais do que a um conjunto de aulas. O conhecimento e desenvolvimento frutos da experiência superior abrem nos os horizontes, dão nos acesso a um acervo de bens científicos e culturais até então indisponíveis, granjeiam nos uma independência e segurança para participar na vida em comunidade que de outra forma não lograríamos e fortalecem nos as virtudes de regulação da conduta. 

Não é, assim, surpreendente que as pessoas que possuem um grau superior se sintam mais satisfeitas com a vida, lato sensu. Parte desta satisfação deve se aos melhores resultados no mercado de trabalho desta população, mas outra parte deve se às melhores condições de saúde que revelam e à maior confiança nas instituições e nos outros de que gozam. Mas, além de benefícios individuais, a escolarização beneficia toda a comunidade. Indivíduos mais escolarizados tendem a ter menos comportamentos antissociais, auto ou heterodestrutivos e a participar mais ativamente nos diálogos da sua comunidade. De facto, os benefícios do ensino superior são multidimensionais, são de consumo e de investimento, são individuais e coletivos. 

No entanto, estudar também comporta custos, decorrentes da própria atividade estudantil, como o que se gasta em materiais, manuais, livros, propinas, refeições ou atividades extra, ou o salário que deixamos de auferir por dedicarmos tanto do nosso esforço e energia aos estudos. 

Este estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos propõe identificar e medir de forma abrangente, rigorosa e sistemática os benefícios do ensino superior para o caso português, olhando para indicadores como:

  • a relação entre a educação superior e o emprego
  • a relação entre a educação superior e os salários
  • os efeitos do ensino superior na saúde
  • os efeitos do ensino superior na segurança
  • os efeitos do ensino superior na participação cívica.
O incremento no rendimento esperado mais do que compensa os custos decorrentes da atividade estudantil e os salários perdidos. Em 2010, em Portugal, estimava-se que o retorno líquido, ao longo da vida, dos estudos superiores face aos estudos secundários ultrapassasse os 275 000€ para os homens e os 235 000€ para as mulheres, o que equivalia a uma taxa de retorno de 19% ao ano (OCDE, 2016). Naturalmente, uma vez que estes são valores esperados, alguns diplomados conseguirão um retorno inferior e outros um retorno superior. De resto, como demonstramos em capítulos subsequentes, a variabilidade dos retornos da formação superior tem-se acentuado.
video thumbnail
Vídeo de apresentação "Benefícios do Ensino Superior"
Acessos rápidos
Documentos
Estudo Benefícios do ensino superior, da Fundação Francisco Manuel dos Santos