O Trabalho dá que pensar
Questões Sociais

O Trabalho dá que pensar

14, 15 e 16 setembro 2018
Ainda não tem bilhete?
Comprar bilhete
Já tem bilhete?

2018

14 setembro
20h30 - 23h55
Jardim Botânico Tropical
Ver mapa

2018

15 setembro
14h00 - 23h50
Jardim Botânico Tropical
Ver mapa

2018

16 setembro
14h00 - 21h00
Jardim Botânico Tropical
Ver mapa

O Trabalho dá que pensar

Durante três dias em Lisboa, haverá música, teatro, documentários, debates e workshops, num Encontro que será diferente.

Este ano, nos dias 14, 15 e 16 de Setembro, o Jardim Botânico Tropical, em Belém, será o palco de mais um Encontro da Fundação, desta vez dedicado ao trabalho, tema polarizador que a todos dá que pensar. Do impacto da tecnologia ao da demografia, o futuro do trabalho é um dos tópicos mais debatidos da actualidade. Durante muito tempo, defendeu-se que embora as mudanças tecnológicas eliminassem alguns empregos, novos postos de trabalho seriam criados para os substituir em novas áreas. Mas hoje esta convicção parece incerta. E a forma como a tecnologia vai continuar a transformar a nossa sociedade e o trabalho depende das decisões que os nossos líderes tomarem hoje. Neste contexto, e porque "O Trabalho dá que pensar" a Fundação junta vários dos maiores especialistas nacionais e internacionais em diversas áreas. A Jimmy Wales, co-fundador da Wikipédia, juntam-se alguns dos mais reputados economistas mundiais: David Autor, Juan Dolado, Jean Pisani-Ferry, Martha Bailey e Sérgio Rebelo. Estarão também presentes grandes especialistas em inteligência artificial: Arlindo Oliveira, Luís Moniz Pereira e Norberto Pires; o biólogo e fisiologista Jared Diamond, e reputados nomes das artes como Ana Padrão, Leonel Moura e Pedro Gadanho. Responsável pela apresentação de todo o Encontro estará José Alberto Carvalho.

Em que medida é que o trabalho, tal como o conhecemos, tem data de validade? Quais as principais transformações sociais, económicas e culturais que estão a mudar o mundo do trabalho? Como garantir que há uma transferência de experiência e de conhecimento intergeracional no mercado? E quais as implicações da uberização do trabalho?

Durante três dias em Lisboa, haverá música, teatro, documentários, debates e workshops, num Encontro que será diferente. Conheça o PROGRAMA completo e reserve já o seu lugar antes que esgote.

Com a compra  e validação do seu bilhete, recebe uma publicação exclusiva para os participantes: 10 entrevistas a especialistas que estudam o trabalho a partir de um ponto de vista particular. Como será um dia típico de um trabalhador em 2068? Foi o ponto de partida para "Pensar o Trabalho no futuro". A versão eBook é enviada por e-mail, enquanto o livro em papel será entregue no certame do Encontro.

JUNTE-SE A NÓS E SEJA BEM-VINDO AO DEBATE!

(Linha de apoio: 916 671 215 | encontro@ffms.pt )

 

Programa

Ver dia

Jardim Botânico Tropical

  • 20h30
    Picar o Ponto
    Acreditação
  • 21h30
    Palco Principal
    Início dos Trabalhos
    Sessão de Abertura
  • 21h55
    Palco Principal
    Conhecimento e inteligência colectiva
  • 23h00
    Palco Principal
    Concerto
    (a anunciar brevemente)
  • 23h55
    Palco Principal
    Governo Sombra em Directo
    O Governo Sombra volta a reunir-se no Encontro da Fundação. Carlos Vaz Marques modera, como sempre, os ânimos provocadores dos “ministros” João Miguel Tavares, Pedro Mexia e Ricardo Araújo Pereira.

Jardim Botânico Tropical

  • 14h00
    Alameda do Trabalho
    Picar o Ponto
    Acreditação
  • 14h30
    Palco Principal
    Documentário
    Os dias contados
  • 15h20
    Palco Principal
    O Estado Social nos tempos da Uber
  • 17h00
    Palco Principal
    Arte: o último reduto do Humanismo?
  • 17h00
    Palco Buda
    Trabalho de Grupo
    Conversas breves, sob a forma de mesas-redondas, entre o público e figuras reconhecidas pelo seu percurso profissional, académico ou artístico, e pessoal.
  • 19h00
    Alameda do Trabalho
    Pausa nos Trabalhos
    Jantar
  • 19h00
    Palco Estúdio
    Peça de Teatro (*)
    "112 - O jantar está mesmo quase"
    Como o nome indica, aponta para uma urgência. Neste caso, para a urgência de três actores, mais especificamente, três recém-licenciados, que acreditaram num Mundo de oportunidades, mas, que, têm sido sistematicamente confrontados com o contrário: não há emprego, não há dinheiro e, pior que isso, não há sinais de mudança. (*) No final da peça será servido jantar. A lotação da sala é limitada a 60 lugares. Entradas por ordem de chegada.
  • 20h00
    Palco Principal
    Documentário
    "Fora da Vida"
    Vencedor do Festival IndieLisboa e distinguido com vários prémios internacionais, parte do tema “viver com o salário mínimo” para investigar como as suas personagens ocupam o tempo que lhes resta para além do trabalho que lhes garante esse salário. Um filme de Filipa Reis e João Miller Guerra.
  • 20h50
    Palco Principal
    A corrida entre o Homem e a Máquina
  • 22h50
    Palco Principal
    Concerto: Cabo dos Trabalhos
    Ana Moura, Paulo de Carvalho, Tiago Bettencourt e Frankie Chavez.
    Projecto musical consituído especialmente para o Encontro da Fundação. Os músicos tocarão e cantarão temas relacionados com o trabalho.

Jardim Botânico Tropical

  • 14h00
    Alameda do Trabalho
    Picar o Ponto
    Acreditação
  • 14h30
    Palco Principal
    Novas promessas para as novas Gerações
  • 15h25
    Palco Principal
    Uma vida. Várias carreiras?
  • 15h25
    Palco Estúdio
    Um código de conduta para os robots?
  • 17h05
    Palco Principal
    O impacto da automatização do Trabalho
  • 18h00
    Palco Principal
    O mundo até ontem
  • 19h00
    Palco Principal
    Encerramento dos Trabalhos
    Sessão de Encerramento
  • 19h20
    Palco Principal
    Concerto: The Whoop Group
    Quarteto de jovens saxofonistas polacos e austríacos.
    Jakub Muras (soprano), Mateusz Dobosz (alto), Krzysiek Koszowski (tenor) e Szymon Zawodny (barítono).
Ver

Partilhar