Economia e Políticas Económicas

Crise e Castigo e o dia seguinte

PUBLICADO EM outubro 2019
* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

Disseram-nos que nós, cidadãos, confiámos demasiado no futuro e vivemos acima das nossas possibilidades, logo, afundámos a economia nacional. Mas qual foi o papel do Estado e do cenário internacional neste naufrágio? Quais as causas profundas da crise que resultou no resgate de 2011, o terceiro desde a revolução de Abril, após anos de endividamento? Neste ensaio indispensável, três dos nossos melhores macroeconomistas analisam com minúcia a evolução da economia portuguesa nas últimas três décadas. Passo a passo, explicam-nos o como e o porquê da crise e do castigo por que passámos, e a recuperação que se lhe seguiu. Entre outras conclusões, está a de que cada um de nós, individualmente, pouco ou nada poderia ter feito para contrariar o rumo que levou à crise porque as decisões cruciais foram tomadas por quem dominava as redes de interesses que capturaram o Estado. Durante o ajustamento e a recuperação, registaram-se avanços. Mas o ténue crescimento dos últimos cinco anos sugere que Portugal continua numa armadilha de baixo crescimento.

Autoria

Coordenação e autoria

  • Luís Aguiar-Conraria
    Economista. Docente na Universidade do Minho
    É doutorado em Economia pela Cornell University, professor e vice-presidente da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. Dedica-se à macroeconomia e à economia política. Recebeu o Prémio Gulbenkian para a Internacionalização das Ciências Sociais.
  • Pedro Bação
    Professor universitário
    É doutorado em Economia pela Universidade de Londres – Birkbeck College e é professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Investiga nas áreas da macroeconomia e da econometria. É autor de diversos artigos e livros sobre a economia portuguesa.
  • Fernando Alexandre
    Consultor da área de Economia da FFMS
    Professor Associado da UMinho e Doutorado em Economia pela Univ. de Londres - Birkbeck College. Foi Pró-Reitor para a Valorização do Conhecimento, Presidente da EEG e Director do Dep. de Economia da UMinho. Exerceu as funções de Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Administração Interna no XIX Governo Constitucional. Investiga sobre poupança, investimento e crescimento da economia portuguesa, tendo publicado vários livros e em revistas científicas internacionais.

Partilhar