Sobre o Debate

Segundo o Inquérito à Fecundidade de 2013, cerca de 8 % dos homens e das mulheres em Portugal não têm nem pensam vir a ter filhos.
Por outro lado, a parentalidade acontece cada vez mais tarde na vida das pessoas, comportamento que é potenciado por vários factores como por exemplo o prolongamento dos estudos, o momento da entrada no mercado de trabalho, a instabilidade ou inexistência de uma relação conjugal, a saída tardia de casa dos pais, o discordar que ter um filho é essencial para a realização pessoal ou o acreditar ser preferível ter menos filhos de modo a poder assegurar-lhes melhores oportunidades para o futuro e educá-los com menos restrições.
Afinal o que pode ficar comprometido na decisão de não ter filhos ou de os ter muito tarde?

Prepare-se para o debate
Documentação de apoio

Oradores

  • Moderador: Carlos Vaz Marques

    Carlos Vaz Marques
  • Embaixador Jean‑François Blarel

    Embaixador Jean‑François Blarel
  • Ana Nunes de Almeida

    Ana Nunes de Almeida
  • Fernanda Câncio

    Fernanda Câncio
  • Miguel Oliveira da Silva

    Miguel Oliveira da Silva
12 Maio
15h00-17h30
NOVA MEDICAL SCHOOL | Faculdade de Ciências Médicas

Programa

  • 15h00

    Recepção aos participantes

  • 15h30

    Abertura

  • 15h35

    Apresentação “Parentalidades tardias e infecundidade” (Estudo Determinantes da Fecundidade em Portugal)

    Maria Filomena Mendes

  • 15h50

    Debate “Mais vale tarde do que nunca?”

    Embaixador Jean‑François Blarel / Ana Nunes de Almeida / Fernanda Câncio / Miguel Oliveira da Silva

  • 17h30

    Encerramento