Notícias

2021

Pandemia deixa mais de metade da população sem conseguir pagar despesas (ou em risco de não conseguir)

Restrições de atividades económicas afetaram o trabalho de 36% dos portugueses, prejudicando mais os que tinham situações mais frágeis. Um quarto das famílias inquiridas no estudo da FFMS acha provável perder pelo menos um emprego nos próximos seis meses. Assimetrias económicas e sociais estão a acentuar-se - com mais desemprego entre os mais frágeis - e podem piorar com fim de moratórias

Fronteiras XXI. "Quanto vale a Floresta?"

Portugal é um dos países com uma das maiores manchas florestais da Europa, mas paradoxalmente é o país que pior partido tira disso. É uma das conclusões dos estudos da Fundação Francisco Manuel dos Santos, abordados, esta noite, no programa Fronteiras XXI da RTP. No retrato atual da floresta, 99% é propriedade privada, o que implica mudanças e decisões sobre a gestão da mesma.

Nuno Pinto e o planeamento urbano

Use as ferramentas de partilha que encontra na página de artigo. Todos os conteúdos do PÚBLICO são protegidos por Direitos de Autor ao abrigo da legislação portuguesa, conforme os Termos e Condições.Os assinantes do jornal PÚBLICO têm direito a oferecer até 6 artigos exclusivos por mês a amigos ou familiares, usando a opção “Oferecer artigo” no topo da página. Apoie o jornalismo de qualidade do PÚBLICO. https://www.publico.pt/2021/06/05/ciencia/noticia/nuno-pinto-planeamento-urbano-1965182 A s

O regresso das ditaduras?

O que é específico da última década é o deslizamento progressivo, a ocidente, de democracias liberais para democracias iliberais, onde precisamente o direito serve a política. Com pandemia, ainda mais

Céu Mateus e a economia das vacinas

Em relação à questão das patentes das vacinas para a covid-19, devem estas continuar a ser respeitadas em face do interesse público? Alguns dos países mais ricos reservaram doses suficientes para vacinar várias vezes toda a sua população.

6% das portuguesas já foram vítimas de agressão física ou sexual. E ainda assim percentagem fica abaixo da média europeia

Nascem mais homens que mulheres, mas elas vivem mais e em Portugal - e em quase toda a Europa - há mais pessoas do género feminino do que masculino. E embora o nível de escolaridade das mulheres seja superior, no final do mês ganham menos e trabalharam mais. Quando se assinala o Dia Internacional da Mulher, a Pordata compilou um conjunto de indicadores que retratam a situação da mulher, em Portugal e na União Europeia

Partilhar