Notícias

2019

Michio Kaku. "A internet dá poder a quem não o tem, o que reforça a democracia"

É um dos mais conhecidos futurólogos do mundo. Autor de livros de divulgação científica e de séries de TV, o popular físico teórico norte-americano estará pela primeira vez em Portugal a 16 de novembro, na conferência “Ciência e Universo”, na Aula Magna de Lisboa, no âmbito do “Mês da Ciência e da Educação”, organizado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos. Otimista quanto à evolução tecnológica, diz que dentro de 100 anos “seremos capazes de explorar o Universo à velocidade da luz”

Genética: A revolução CRISPR

A investigação no campo da biotecnologia deu um salto para o futuro com o aparecimento da técnica CRISPR – uma simples, precisa e barata tecnologia de edição genética. A promissora ferramenta, que os cientistas continuam a otimizar, veio revolucionar a engenharia genética e trazer a esperança de encontrar a cura para muitas doenças. Mas também veio suscitar o debate ético.

Desperdício alimentar. Um problema que não pode ser escondido na despensa

Fazer dos restos refeições e da culinária uma forma “redentora” de combater o desperdício alimentar. Na Casa do Presidente, em Lisboa, instalou-se um “Restaurante sem Comida” onde os convidados foram desafiados a trazer ingredientes de casa que, mais tarde ou mais cedo, se iam estragar. Sob as lides do chef Kiko Martins, alimentos que iriam para o lixo resultaram em iguarias, numa ação levada a cabo para alertar para um problema que também passa pela despensa e pelo frigorífico de cada um de nós

Um mundo de desperdício. Entregamos ao lixo mais de mil milhões de toneladas de alimentos por ano

O mundo desperdiça alimentos. Muitos. Anualmente, 1,3 mil milhões de toneladas de bens aptos ao consumo humano acabam no lixo. Um problema que é global, dos países desenvolvidos e daqueles em vias de desenvolvimento. Nos primeiros desperdiça-se, nos segundos perde-se. No final da cadeia, todos perdem. O ambiente, o orçamento familiar, milhões de seres humanos em subnutrição. O desperdício alimentar aqui esmiuçado com a docente e investigadora Iva Pires.

SOS Planeta Terra

Há um milhão de espécies em perigo de extinção – e a crise climática levanta questões de saúde e ameaça a produção de alimentos. O planeta enfrenta desafios que não podem continuar a ser ignorados, alertam os cientistas. É o futuro da humanidade que está em risco

Entrevista: “Os jovens estão zangados. É preciso canalizar essa energia para um diálogo mais construtivo”

Carlos M. Duarte foi diretor do Centro de Investigação do Mar Vermelho e é professor da Universidade King Abdulah, na Arábia Saudita. Investigador na área das ciências marinhas, dedica-se há vários anos a estudar a crise do clima nos ecossistemas aquáticos. Os estragos estão à vista e é urgente mudar o modelo de sociedade, avisa. Mas também deixa um alerta: o alarme em excesso pode ter um efeito perverso.

Entrevista: “O ambiente vai ser a economia do futuro”

Tiago Pitta e Cunha dedica-se há duas décadas aos assuntos do mar e não tem dúvidas em afirmar que a economia e o ambiente são hoje uma única face da mesma moeda. É presidente da Fundação Oceano Azul, que lançou recentemente um programa educativo com o objetivo de formar cidadãos mais envolvidos com o mar e comprometidos com a sustentabilidade dos oceanos — uma nova “geração azul”

A caminho das eleições europeias: seis dados

O que pensam os portugueses sobre as instituições europeias? E como se comparam com os restantes povos europeus? A opinião de João Tiago Gaspar, Coordenador da equipa de estudos da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS). A FFMS lança esta quarta-feira, 3, às 18h30, na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, o livro Eleições na União Europeia, de Nuno Sampaio

Democracia e legitimidade na União Europeia

Encontrar o equilíbrio e aperfeiçoar mecanismos de representação e de governo que permitam assegurar, simultaneamente, a legitimidade democrática e a eficácia das decisões será sempre um trabalho inacabado, mas sem o qual a UE corre o risco de se tornar uma ideia distante dos cidadãos.

'Pobres têm de ter vias verdes de acesso à saúde'

Une-os a preocupação com a saúde pública e uma amizade com mais de 50 anos. ‘O Daniel e o Jorge são os meus amigos mais antigos’, diz Francisco George. O ex-diretor geral da Saúde, eleito presidente da Cruz Vermelha Portuguesa em 2017 depois de se reformar, lançou esta semana o ensaio ‘Prevenir doenças e conservar a saúde’, apresentado por Daniel Sampaio. Pretexto para uma conversa com os dois sobre a história que os liga e os desafios do país.

‘Descobri a força da solidariedade’, revela Francisco George

A Praça da Alegria de dia 18 de janeiro de 2019 teve a honra de receber um homem que dedicou mais de 40 anos ao serviço público de saúde: Francisco George, ex-diretor-geral da Saúde e atual presidente da Cruz Vermelha Portuguesa. Além de apresentar o seu recém-lançado livro, intitulado “Prevenir Doenças e Conservar Saúde”, Francisco George falou sobre a dura perda da mulher e da filha num acidente de viação, em 2006. “Descobri a força da solidariedade”, relevou durante a conversa.

2018

Famílias deitam no lixo 1,5 quilos de comida por semana

Se cada família deitasse no lixo uma laranja por semana, ao fim de um ano seriam quatro quilos de laranjas desperdiçadas. Se os quatro milhões de famílias portuguesas fizessem o mesmo seriam quase 17 mil toneladas de laranjas ao fim de um ano. A perda rondaria os 25 mil euros e tudo só por causa de uma laranja. Só que as famílias estão longe de desperdiçar apenas uma peça de fruta por semana.

Os fogos, a lei e a economia

Se queremos uma gestão sensata do fogo, temos de alterar a doutrina de combate, temos de integrar o fogo em vez de o tentar suprimir, temos, acima de tudo, de ter a plena consciência de que nos cabe a nós, os beneficiários, pagar a gestão dos serviços de que queremos beneficiar.

"Quando as pessoas têm uma crença, não é o discurso racional nem os estudos científicos que vão demovê-las"

A meditação faz-se quando um homem quiser. Na “prateleira dos frescos do supermercado onde provavelmente adquiriu este livro”, escreve João Villalobos, 51 anos. Fixe o olhar numa “maçã Starking ou Golden”. “Semicerre os olhos e concentre-se na sua respiração. Inspire profundamente visualizando na sua mente o ar que entra pelo nariz. (...) Repita este exercício até se fartar ou ser expulso do lugar por estar a bloquear o acesso aos iogurtes.”

A luta das grávidas com cancro

Começou como uma conversa, tornou-se uma obsessão. De um desabafo feito por uma médica, nasceu uma reportagem para o Expresso sobre mulheres que enfrentaram o cancro durante a gravidez. A história ganhou nova vida com um trabalho na antena da SIC. E, cinco anos depois da primeira conversa, nasceu um livro, "Filhos da Quimio".

Pedro Strecht: «Algumas queixas de hiperatividade são sinais de boa vitalidade dos miúdos». Notícia da Notícias Magazine.

Hiperatividade e Défice de Atenção (ed. Fundação Francisco Manuel dos Santos) é o mais recente e reflete sobre a forma como estamos a viver a família, o trabalho, a escola e questiona se não estará aí a origem desta verdadeira epidemia que é o diagnóstico de hiperatividade e défice de atenção. Porque para resolver um problema é preciso percebê-lo.

Martin Rees: “Sou um optimista tecnológico mas um pessimista político”. Notícia do Público.

É um dos cientistas britânicos mais prestigiados no mundo. Aos 75 anos, o astrofísico Martin Rees, cuja área de investigação incluiu a formação de buracos negros e de galáxias ou o Big Bang, dedica-se agora a alertar para os perigos dos avanços científicos sem controlo e as ameaças ao planeta, como as alterações climáticas. Veio a Portugal para a conferência A Ciência no Século XXI: Oportunidades e Ameaças, organizada pela Fundação Francisco Manuel dos Santos no Porto.

2017

Um retrato dos cientistas portugueses no estrangeiro. Notícia do Boas Notícias

No passado dia 20 de novembro, a Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) promoveu no âmbito do Mês da Educação e da Ciência 2017, uma conferência subordinada ao tema “Ciência portuguesa pelo mundo”, que teve como principal missão dar resposta às questões “Quantos são e onde estão os cientistas Portugueses espalhados pelo mundo? Quem são e em que áreas de investigação trabalham?”.

Limitação de mandatos de autarcas trava gastos “eleitoralistas”. Notícia do Expresso.

Quando um presidente de câmara não se pode recandidatar tende a gerir as finanças locais de forma “menos eleitoralista”, conclui estudo sobre o impacto da limitação de mandatos. “O futuro dirá se estes efeitos positivos que nós identificámos se mantêm ou não. A minha intuição é que sejam um pouco menores em eleições futuras”, afirma um dos coordenadores do estudo apoiado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos

Com Tempo e Alma podcast: Precisamos de mais imigrantes

Na segunda edição do podcast Com Tempo e Alma, a jornalista Joana Gorjão Henriques conversa com o sociólogo João Peixoto, coordenador do estudo Migrações e Sustentabilidade Demográfica , editado pela FFMS, e com o geógrafo Jorge Malheiros, que explicaram porque é que Portugal precisa de mais imigrantes, que qualificações vão estar em falta e onde vão ser necessárias mais pessoas.

20 factos sobre transportes públicos em Portugal. Notícia do JN.

A Pordata lança, esta quinta-feira, uma nova base de dados dedicada aos Transportes, com informação que recua aos anos 60 e 70, para assinalar o sétimo ano de existência. O projeto da Fundação Francisco Manuel Dos Santos já ultrapassou as 41 milhões de visualizações e foi acedido a partir de todos os países do mundo. Fique a saber 20 factos curiosos sobre os Transportes em Portugal.

"O ensino não se pode limitar à transmissão de conhecimento". Notícia do Expresso.

Andreas Schleicher, responsável pela maior avaliação internacional na área da Educação, veio a Portugal discutir com seis ex-ministros da Educação a melhoria dos resultados dos alunos portugueses nos testes do Programme for International Student Assessment (PISA), que avaliam a literacia matemática, científica e de leitura demonstrada aos 15 anos. O convite partiu da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

2016

Quer aprender a prever o futuro? Philip Tetlock explica-nos como. Notícia do Jornal Público

A futurologia é uma ciência? É, mas chama-se previsão. E é a área a que se dedica Philip Tetlock, cientista norte-americano que há 30 anos estuda a forma como se consegue prever de forma segura o futuro. O autor começou por analisar as previsões dos especialistas da política e da economia, para concluir que a margem de erro das suas previsões é, em média, tão grande como a do cidadão comum.

Partilhar