Nascer em Portugal

Nascer em Portugal

Nova obra interactiva. Temos menos filhos e cada vez mais tarde. Porquê?

Nascer em Portugal já não é o que era. Temos menos filhos e cada vez mais tarde. Porquê? O que se passa com as mulheres e os homens e o que influencia a sua decisão de serem pais?

Portugal regista actualmente um dos mais baixos níveis de fecundidade da Europa e do Mundo, resultado da redução dos nascimentos e do adiamento da parentalidade. Hans Rosling, fundador do Gapminder, elegeu mesmo o número de filhos por mulher como o dado mais saliente sobre o Portugal de hoje. Temos menos filhos e cada vez mais tarde. Porquê? Pensar e construir a sociedade, exige o conhecimento das tendências demográficas em curso e os seus efeitos sobre as próximas gerações. Inspirada neste conceito, a Fundação Francisco Manuel dos Santos desenvolveu o projecto interactivo “Nascer em Portugal”.

Partindo dos resultados do Inquérito à Fecundidade 2013, realizado no âmbito de uma parceria entre a Fundação e o Instituto Nacional de Estatística, das estatísticas oficiais conhecidas e do estudo “Determinantes da Fecundidade em Portugal”, este projecto apresenta uma visão abrangente e peculiar sobre o que realmente se passa  com as mulheres e os homens em Portugal e o que influencia a sua decisão de serem pais.

Acessível numa plataforma digital e interactiva, com um design responsive, pensada para todos: homens e mulheres, mais ou menos novos, com ou sem filhos. Reportagens realizadas pela TVI 24 transportam o leitor para o campo da investigação jornalística sobre o tema. Gráficos dinâmicos e mapas complementam os textos permitindo uma viagem pelos números da natalidade em Portugal, nas regiões do país e na Europa. Por outro lado, através de entrevistas e testemunhos é revelada uma perspectiva muito prática e real das escolhas e ambições de diferentes pessoas e casais.

Conheça o Projecto aqui

Ver

Partilhar