A mulher, hoje
Política e Sociedade

A mulher, hoje

12 fevereiro 2019
Ainda não tem bilhete?
Comprar bilhete
A mulher, hoje

2019

12 fevereiro
14h00 - 19h00
Aula Magna
Ver mapa

A mulher, hoje

Primeiro Encontro do Ciclo "Ao Encontro dos Portugueses"

O dia 12 de Fevereiro, dia em que a Fundação completa 10 anos de existência, é dedicado à actual situação das mulheres em Portugal e no Mundo. A conferência inicia-se com a apresentação do mais extenso estudo sobre as mulheres no nosso País seguida de debate. Já no segundo painel, sobem ao palco da Aula Magna, Samantha Power e Ghida Fakhry, duas das mais proeminentes mulheres dos bastidores do poder político mundial, que irão analisar a situação das mulheres no mundo. Uma tarde para reflexão crítica e construtiva sobre os papéis desempenhados pelas mulheres e pelos homens na sociedade dos nossos dias.

 

Na primeira sessão da tarde, Laura Sagnier, economista com 30 anos de experiência em Market Intelligence na consultora PRM e coordenadora do estudo "As mulheres em Portugal", apresenta as suas principais conclusões. Um estudo pioneiro, não só pela amplitude da amostra, como pela variedade de dados recolhidos, representando perto de 2,7 milhões de mulheres entre os 18 anos e os 64 anos. Quem são, o que pensam e o que sentem as mulheres em Portugal? São analisadas as várias dimensões das suas vidas: o emprego, as horas de trabalho dedicado à casa, a situação económica, a relação com a pessoa parceira, o assédio no trabalho, a violência doméstica e de género, entre tantas outras. Posteriormente entram no debate, Anália Torres, Ana Nunes de Almeida (sociólogas) e Teresa Fragoso (Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género). A moderação estará a cargo de José Alberto Carvalho (TVI).

Samantha Power e Ghida Fakhry, duas das mais proeminentes mulheres dos bastidores do poder político mundial, irão analisar a situação das mulheres no mundo.

No segundo painel do Encontro sobem ao palco Samantha Power e Ghida Fakhry. Conversam sobre o papel da mulher e do caminho que está por fazer no que diz respeito à igualdade de género em diferentes sociedades com base nas suas experiências profissionais, que incluem cenários de guerra. Conhecendo realidades como o Médio Oriente, Balcãs ou África, comparam-nas com a perspectiva cosmopolita norte-americana e questionam: até que ponto devem os países ocidentais, através de organizações internacionais como a ONU, ter um papel na promoção da igualdade de género noutras culturas e sociedades? A terceira personalidade internacional, que completará o painel, será anunciada nos próximos dias.

Reserve o seu lugar! Compre já o bilhete antes que esgote (5€ ou 3€ para estudantes).

Programa

Ver

Partilhar