Gráfico de linhas
Gráfico de linhas

Um sistema de saúde mais digital beneficiaria a saúde de todos

Artigo de opinião de José Mendes Ribeiro, a propósito do seu novo livro: «Saúde Digital: Um Sistema de Saúde para o Século XXI».

4 min. leitura
Ler mais tarde Remover artigo
Uma pequena curiosidade. Lancei o meu livro “Saúde – a Liberdade de escolher” há exatamente 10 anos, em setembro de 2009. O tema da liberdade de escolha pareceu-me fulcral para recentrar o sistema no cidadão e nas suas escolhas.

Em setembro de 2019, o mundo está muito diferente. Em apenas 10 anos, o número de agregados familiares em Portugal com ligação à internet e à banda larga praticamente duplicou, passando de 39% para 77 %. O número de pessoas com escolaridade secundária completa e ensino superior passou de 25% para 41% da população. A esperança média de vida aumentou cerca de 1 ano e meio.

Hoje, a conectividade está a mudar o mundo e o comportamento das pessoas.

Os avanços da tecnologia digital, e cidadãos mais esclarecidos e mais ligados, inspiram e impõem um debate sobre a construção de uma nova visão da saúde que incorpore a tecnologia como um recurso fundamental.

O envelhecimento da população e o aumento da prevalência de doenças crónicas serão dois dos maiores desafios dos sistemas de saúde do nosso tempo.

Portugal pode capturar este momento único para pôr em marcha uma iniciativa arrojada de Saúde Digital, com o propósito de promover a saúde e assegurar uma vida longa e mais saudável a todos os portugueses.

José Mendes Ribeiro

Um pouco por todo o mundo vão-se ensaiando soluções que tiram partido da conectividade e da partilha de informação, acreditando-se que virão a permitir uma prestação de cuidados mais eficiente e, como resultado, uma vida saudável e autónoma durante muitos mais anos.

O Big Data, a Internet das coisas, a inteligência artificial e tantas outras ferramentas que impulsionam o desenvolvimento da sociedade digital terão um peso crescente na organização e na gestão dos sistemas de saúde.

Este pequeno livro pretende antever a trajetória destas tendências e mostrar como poderemos evoluir de uma cultura “analógica” para uma cultura “digital”, beneficiando a saúde individual e coletiva.

Portugal pode capturar este momento único para pôr em marcha uma iniciativa arrojada de Saúde Digital, com o propósito de promover a saúde e assegurar uma vida longa e mais saudável a todos os portugueses, ao mesmo tempo que pode acrescentar valor e um contributo valioso aos sistemas de saúde em geral:

- Disponibilizando um registo eletrónico de saúde para cada cidadão, permitindo a partilha de informação entre todos os níveis de cuidados;

- Aumentando o acesso aos cuidados através da massificação da telemedicina;

- Implementando um novo conceito de hospital digital, espaço de teste permanente para todas as tecnologias inovadoras e incentivo à criação portuguesa;

- Monitorizando os doentes e as doenças crónicas, em qualquer lugar e a qualquer hora, garantindo uma resposta pronta a qualquer alerta;

- Partilhando os exames de diagnóstico entre todos os operadores, públicos e privados, combatendo assim o enorme desperdício de duplicação de milhões de exames por ano;

- Promovendo e expandindo a investigação médica através do acesso a plataformas de dados anonimizados;

- Garantindo que a informação sobre as transações ocorridas no sistema de saúde, em especial no SNS, trate-se de indicadores de produção ou financeiros, fique acessível, pública e transparente.

Portugal tem uma dimensão adequada para pilotar experiências de inovação e para atrair investimento e capital intelectual para enfrentar uma das maiores inovações do século XXI.

José Mendes Ribeiro

A criação de um “ecossistema digital” no setor da saúde pode mobilizar a energia das universidades, dos operadores de cuidados, dos financiadores, das autoridades de saúde e de todos os profissionais e cidadãos neste enorme desafio de ampliar o conhecimento e a inovação.

Portugal tem uma dimensão adequada para pilotar experiências de inovação e para atrair investimento e capital intelectual para enfrentar uma das maiores inovações do século XXI.

Escolhi uma citação para o início deste livro, da autoria de Ludwig Wittgenstein, filósofo austríaco, que exprime uma boa síntese do sentimento que experimentei ao longo da investigação que levei a cabo para a sua produção. Passo a citar:

“O que eu queria demonstrar eram os contornos de uma ilha. O que descobri, no final, foram as fronteiras do oceano.”

A conectividade não nos confina ao território limitado e incluso nos contornos de uma ilha, mas é efetivamente a fronteira de um oceano sem fim, pleno de recursos e de meios, que poderemos explorar.

José Mendes Ribeiro é o autor do livro «Saúde Digital: Um Sistema de Saúde para o Século XXI», publicado pela Fundação na colecção de Ensaios. O livro está disponível na loja online, com 10% de desconto e portes de envio gratuitos.

Ler do início
Achou este artigo útil?

3 leitores acharam este artigo útil.