Planear sem receitas

Planeamento

Não há receitas para o planeamento das cidades. Cada país, região ou cidade deverá poder inovar e experimentar fórmulas. A rigidez conduz normalmente a maus resultados. A progressiva concentração e fixação geográfica das populações é um percurso da humanidade que deu origem às cidades e, mais recentemente, às suas conurbações e às grandes metrópoles e metapólis, onde, segundo a ONU, vive, desde 2008, mais de metade da população mundial. Esta tendência, de acordo com aquele organismo, irá manter-se nas próximas décadas, com maior contributo dos países da Ásia, África e América, indo verificar-se também o aumento das megacidades, 30 das quais, tendo mais de 9 milhões de habitantes, concentram já cerca de 430 milhões de pessoas.
Ler do início