O misterioso défice de crescimento

O capital foi mal distribuído

A partir de meados dos anos 90, houve uma enorme influxo de capital do estrangeiro para Portugal. Baixaram muito as taxas de juro. Com mais capital, esperava-se que as empresas mais produtivas em Portugal pudessem crescer, ganhar escala e atacar mercados internacionais. Não foi isso que aconteceu: os sectores que mais beneficiaram foram o imobiliário, o comércio grossista e retalhista e os serviços pessoais. Tudo sectores não-transaccionáveis em que a produtividade mais caiu e em que mais aumentaram as rendas.
Ler do início