De volta ao Sul

Finalmente, Portugal na Antárctida!

Em torno de 1500 os portugueses terão avistado a terra dos papagaios gigantes, a Psitacorum, região referida em vários mapas antigos. E esse local mítico será a ilha Marion, a meio caminho entre a África do Sul e a Antárctida. Os estranhos papagaios gigantes deveriam ser os pinguins-rei que nidificam naquelas ilhas, e esse avistamento não terá sido mais do que o início de um longo abandono. Durante cinco séculos Portugal nunca se preocupou com a Antárctida, mesmo depois da entrada em vigor do Tratado da Antárctida, em 1961. Só em 2010 essa situação se alterou, quando Portugal se tornou membro associado daquele acordo internacional. Essa adesão culminou num processo, iniciado anos antes, de investimento na ciência polar que permitiu levar missões científicas portuguesas ao continente mais austral. Ao cooperar de forma activa no grande investimento internacional que é a investigação polar, Portugal pode ocupar nichos próprios, havendo várias áreas científicas cujos resultados são de grande aplicabilidade prática.
Ler do início