O ano em que a China apresentou a sua candidatura a superpotência

Beijing já não é só uma referência entre os países em desenvolvimento. Também envia recados para Washington e Bruxelas sobre políticas económicas ou arma um porta-aviões. Chegou a hora de a China mostrar ao mundo as suas ambições.
Ler do início