A polémica sobre o universo eleitoral português

A publicação dos primeiros dados dos Censos 2011 parece confirmar a ideia de que existem demasiados eleitores-fantasma no Recenseamento Eleitoral. Uma análise mais fina dos números revela outra realidade: a dos eleitores que, estando regularmente recenseados no território nacional, residem todo ou quase todo o ano fora do país. É uma situação perfeitamente normal e legal e um direito que assiste aos cidadãos nacionais.
Ler do início